Sobre Bloqueio, Preguiça, Bebidas e Afins

writing

Ainda bem que eu não me escrevo pra me sustentar.

Não sei se esse  texto vai chegar a sair , pode ser que ele venha a mofar digitalmente por tempo indeterminado ou pode ser que eu apenas aperte o botão postar logo após terminar de escrever. A ideia dele não é ser algo publicável, é só um exercício, uma tentativa de exorcismo pra ser sincero.

Tentar exorcizar o bloqueio criativo através de um texto aleatório em escrita livre (isso é escrita livre?).

snls-reaction-right-after-the-trump-press-conference-249064

Como escrito no começo, ainda bem que eu não trabalho como escritor, redator ou algo que o valha pra colocar o pão de cada dia na minha mesa, senão uma hora dessa estaria morto de fome ou teria vendido a minha dignidade para algum site de fofoca. Mesmo não precisando escrever para me sustentar, sofrer um bloqueio criativo é uma porcaria. Quem escreve basicamente resenhas sobre o que anda lendo, jogando ou assistindo sofre bloqueio criativo? O nome certo nesse caso não seria só bloqueio? Afinal, eu não estou exatamente criando algo muito complexo.

Muitas vezes é só preguiça.

Não sei quando foi a última vez que postei alguma coisa aqui no site, e  provavelmente se for atrás pra saber a data vou ficar envergonhado. Chuto que seja coisa de uns dois meses, talvez um pouco mais. Se contar que muitas vezes quando começo a escrever só paro depois do quinto ou sexto post completo, e que depois eu saio agendando com um certo intervalo entre eles, o tempo que não escrevo nada acaba sendo mais vergonhoso. Mesmo que seja apenas por prazer, bate uma certa culpa por não estar fazendo mais.

Mas muitas vezes é só preguiça.

Desse tempo todo, acho que dá pra chutar quase três meses sem escrever nada, um mês é o período no qual da pra culpar o bloqueio. O último mês, se é que isso me ajuda em alguma coisa. As vezes que a preguiça reina é bem maior, e muitas vezes ela se disfarça de outra coisa, no me caso em regras absurdas. Não vou escrever hoje pois à noite vou dar plantão (e passo o dia na cama rolando o scroll no feed do Facebook), não vou escrever hoje pois acabei de chegar de plantão (e fico das 19h às 3 da manhã não fazendo porra nenhuma), não vou escrever hoje pois tenho muita coisa pra ler ou fazer e vou esperar juntar uma quantidade boa de material pro site (avabo não lendo nem fazendo porra nenhuma, de volta pro feed do Facebook).

woman-typing-writing-windows-large

Aí uma hora a consciência pesa. Foda-se se você faz isso apenas pra se divertir, pra fugir da rotina, uma hora a consciência joga na sua  cara que você deveria pelo menos tentar escrever alguma coisa, mesmo que isso seja condenar algo que você queria fazer com calma e cuidado a se tornar um texto porco e feito às pressas. Então você cria coragem, posiciona o notebook na escrivaninha, respira fundo e…

Não consegue pensar em nada.

Na verdade é pior que isso. Você acaba com um rascunho de post aberto, um título escrito e um começo de texto que não vai te levar a lugar algum. Você já escreveu aquelas malditas três linhas introdutórias quatro vezes e elas ainda não te ajudam em nada. Ficam ali, te encarando como um jogo de paciência que começou errado, e não importa quantas vezes você embaralhe as cartas novamente, o jogo volta a travar. Aí você aceita o destino, a raiva se transforma em autoindulgência e você promete a si mesmo tentar de novo o mais breve possível.

E você só realmente tenta de novo umas três semanas depois.

Mas dessa vez dá tudo certo. O primeiro texto flui meio desconfortável, meio burocrático. Os seguintes te dão uma leve ponta de orgulho e o último é  um breve compilado de frases curtas, fruto das últimas gotas de criatividade e vontade. O cansaço chega, ou talvez a embriaguez.

Na maioria das vezes é a embriaguez.

essay-writing

Outra pontada de vergonha me atinge se eu resolvo fazer mais um exercício de memória pra tentar lembrar quais textos eu escrevi sem ter tomado sequer uma gota de álcool. Olho pra frente agora e tem duas garrafas long neck de Budweiser vazias, lado a lado na janela. Por favor, não me julguem, a outra cerveja leve disponível no supermercado era a Corona que custa o dobro do preço. Cacete, eu não consigo me lembrar da última vez que escrevi sem estar bebendo alguma coisa, por menor que fosse a quantidade e teor alcoólico.

Não me arrependo.

No saldo final você tem uma boa quantidade de posts com qualidade variada agendados pra uma semana ou duas (com sorte três) e a promessa de que você não vai esperar novamente tanto tempo pra voltar a escrever, pois a sensação é muito boa, principalmente após a conclusão de cada último parágrafo. Também tem a noite mal dormida e trabalhar no dia seguinte moído e com dor de cabeça, mas isso não conta. Acho que no final esse foi um bom exorcismo, não sabia o que esperar no final mas me sinto mais solto e livre pra escrever, a tarde está acabando mais ainda tem uma longa e produtiva noite pela frente.

Vou tentar não esperar tanto tempo pra voltar a escrever.

tenor

Mentira.

  • O Imatável Polvo Aranha

    Ainda bem que eu não me escrevo pra me sustentar.

    Se sustenta receitando dipirona, o que é muito mais fácil.

  • O Imatável Polvo Aranha

    Tudo bem ficar com preguiça. Sei que o trabalho de médico é bem puxado.

  • O_Puto

    Essa história de bloqueio é foda demais. Passo semanas olhando pra minha dissertação e nada… Daí na véspera da reunião com o orientador tem que espremer o juízo até sair alguma coisa na marra.

  • o Inconcebível Bob Balburdia

    As vezes eu tenho bloqueios quando vou comentar aqui.
    Mas logo passa.

  • Frogwalken

    No meu caso, uma MUSA INSPIRADORA ajuda a evitar eventuais Bloqueios Criativos =D

    https://68.media.tumblr.com/5b4b3e8ca950ce588b6e210729d3a60a/tumblr_owtbzhy6Zu1tkold1o1_1280.png

    • O_Comentarista

      Bela musa.

  • [Better Call Harvey]

    PÔUW GODOKAAAAAAA !!!

    COMO VC PODE TER BLOQUEIO CRIATIVOS COM A INTERNET CHEIA DE VIDEOS DE GATINHOS

  • O_Comentarista

    Resumindo: Godoka é o Stephen King em má fase.

    • [Better Call Harvey]

      Sim e cagando sempre no final

  • Glaydson Melo

    Pior que parece que o álcool destrava mesmo na hora de se expressar em palavras…Jesus…

  • PCB

    A depressão me bateu quando tava fazendo resenha e percebi que todas pareciam a mesma coisa, sem nenhuma identidade…

    (vou ir assistir The Room pra pensar em coisa mais triste do que a minha tristeza)

  • Cara…
    eu tenho uns pensamentos que variam um bocado do que vc escreveu…
    talvez fosse ficar melhor num post, mas sei lá… de repente eu consigo explicar melhor lá se vc(s) quiser(em)…
    mas assim… alguns pontos:
    1) cara, trabalhar com arte é difícil… não só por ser difícil, mas é um treco criativo, é um trabalho, é diversão e reflete muito nossa forma de pensar, nossa cultura, nossos costumes, tradições… enfim.. é muito pessoal, mas é uma profissão… se vender pra um site de fofoca não é muito diferente de trabalhar numa empresa no final do mês pra ganhar o salário. A única diferença é que é mais “poético”. Mas é tudo a mesma coisa no final do dia (e do mês com o pagamento)
    2) sobre os bloqueios: é super normal… e não deveria ser motivo pra assustar a gente…. apesar de assustar pacaralho. Tipo, eu já trampei com arte.. e tô inserido no meio… o bloqueio varia conforme N coisas e não tem uma regra pronta pra seguir. Eu meio que tenho isso quando não tô necessariamente me divertindo fazendo aquilo… ou quando tô com tédio… talvez com preguiça ou com vontade de fazer outra coisa mais interessante. O fato importante é que dá pra usar disso à nosso favor, tipo começar a aprender coisas novas pra se tornar menos “ocioso” nesse tempo… De repente um programa novo, uma técnica nova, rabiscar em papel (que eu não faço mais hahahah), ler artigos sobre qualquer coisa (ler sobre cores é maravilhoso) – isso no meu caso que sou designer… o foco pode mudar, mas o conceito pode ser o mesmo… e não é nem questão de ser produtivo, mas de vc ocupar um pouco a cabeça e voltar quando tiver preparado (mas sem a culpa de só ter feito mais do mesmo no meio tempo, sabe?)
    3) Quando vc trampa com isso, meio que não tem muita desculpa pra bloqueio… tipo.. acontece, mas é igual ir trabalhar num dia ruim em qualquer trampo. Você faz o que dá e como dá. O resto é história… e home office…. MUITO home office!
    4) O último ponto: Sobre o site. Não quero soar babaca e nem nada, mas cara, a gente faz isso por diversão, não ganhamos um centavo (pelo contrário como vossa senhoria bem sabe) e até o momento não pretendemos. Não coloque um peso desnecessário nos seus ombros. Faz quando der… se der… se puder… e faça por você, sabe? Eu gosto de pensar assim, porque isso ainda é o nosso hobbie. Claro que muita coisa precisaria mudar se um dia a gente quiser monetizar isso de alguma forma. Como não é o caso, relaxa.
    Só tenta se divertir… mesmo que a diversão seja bem longe de escrever post… é aquela vibe do “se você tá bem, todo mundo tá bem”!

    PS: Em seu favor, você participa de quase todos os podcasts. Juntando o tempo de começar a gravação, gravar e finalizar dá pelo menos 2 horas. Mais as conversas no chat sobre as coisas do site. Olha quanto tempo por semana você coloca no site e nem percebeu? <3