Shade – O Limite da Visão

SHADE-LDV_pg0011aCapa_4aCapa

Ainda falta muito pra passar minhas últimas compras à limpo.

SHADE-LDV_pg0011aCapa_4aCapa

Os eventos da edição são continuação do primeiro encadernado (resenhado aqui). Shade continua na sua jornada conta a entidade conhecida como o Grito Americano, que é a personificação da insanidade coletiva e neuras que habitam o inconsciente coletivo da terra do Tio Sam. Porém o embate não é direto, o grito possui muitas formas de agir, fazendo com que novos adversários surjam, simplesmente dando vazão à loucura de algumas pessoas simples.

O que acaba sendo um grande chamariz nessa revista é que, mesmo após 15 anos da sua publicação original, ela ainda soa inconvenientemente atual. De cara o primeiro embate do insólito herói é contra uma entidade autodenominada A Canção dos Inominados, um ser que ganha força através de todos aqueles que vivem no meio à condições de pouco ou nenhuma dignidade nas ruas. Seu poder não é transformar pessoas “normais” em indigentes, mas apenas aflorar o potencial que todos tem para tal. A maneira com que Shade consegue derrotar a Canção dos Inominados é simples, pena que não pode ser usada no mundo real.

shd

Logo depois se inicia um embate (será que dá pra chamar assim?) contra Arnold Major, um hippie fritado de ácido que acha que consegue dominar o poder do Grito através do amor. Segundo Major, o Grito apenas amplifica o que já existe dentro da pessoa, então se a pessoa só possuir amor, então o Grito só pode amplificar  o amor. Seria um plano com chances de dar certo, mas ninguém é feito de apenas um sentimento, e por mais que tente esconder seus defeitos, Arnold é justamente a grande falha de seu próprio estratagema.

Vampiros de Normas é outra história amargamente atual, na qual um cidadão de bem se torna obcecado a transformar toda a sua cidade em cidadão de bem, ou seja, humanos medíocres, com vidas medíocres, pensamentos medíocres e aspirações medíocres, com seus lazeres medíocres e mediocridade disfarçada de felicidade. Para tal, o cidadão de bem dispõe de uma máquina normalizadora, criada há muito tempo por seu pai, capaz até de alterar a etnia das pessoas (já que outras cores em uma vizinhança de bem também não é normal). A maneira como a história termina é genial.

1118978-untitled

As três últimas edições que fecham o encadernado possuem o mesmo título dele, O Limite da Visão. Pra quem não se lembra, quando Shade vem de sua dimensão para a nossa, ele acaba por possuir o corpo de Troy Grezner, um assassino em série condenado à  cadeira elétrica. Grezner parecia estar sob controle, mas uma série de assassinatos coloca essa certeza em cheque. Para deter o assassino, Shade se alia ao detetive Stringer, um homem que parece mais familiarizado com os eventos insanos que ocorrem pelo país do que o esperado de alguém comum.

shd2

Como já dito antes, assim como os encadernados do Monstro do Pântano de Alan Moore e Patrulha do Destino de Grant Morrison, ainda não entendo o motivo deste material ser lançado em papel jornal e capa cartonada, sendo que tem material bem chulé por aí sendo lançado em capa dura e com preço mais em conta. As históris seguem em um fluxo no qual ler muito rápido é se arriscar a ter uma dor de cabeça, além de não entender muita coisa. A arte do Chris Bachalo está muito boa e ajuda muito na loucura proposital de Peter Milligan. Mais que recomendado, mesmo com o acabamento inferior.

Godoka
06/09/2016
  • O_Comentarista

    Minha visão é limitada, por isso uso óculos.

    Interessante o conceito das histórias. Acho que vou dar uma conferida.

  • [Better Call Harvey]

    SHADE!! AAAA- AHHHHHHH

    Savior of the Universe!
    SHADE!! AAAA- AHHHHHHH
    He’ll save everyone of us!
    SHADE!! AAAA- AHHHHHHH
    He’s a miracle!
    SHADE!! AAAA- AHHHHHHH
    King of the impossible!

    Googi donwlouad Shade o Homem Imitável

  • Bob Balburdia

    Parece interessante, apesar das dorgas.

  • Luc Luc

    Peter Milligan é muito amor <3