Sexta do Leitero – Sombras da Noite

EÔ EÔ, STEPHEN KING É O TERRÔ!264_168-stephen1

Piadas idiotas à parte, esse filho da puta é um filho da puta muito filho da puta. Sombras da Noite é um compilado de 20 contos dos autor, e muitos deles inclusive já foram adaptados para o cinema. Simplesmente não dá pra parar de ler, você termina de ler um conto e já pula para o outro instintivamente.

Outro ponto forte de King é que o cara consegue transformar a ideia mais idiota possível em algo interessante de ler. Se você falar em voz alta, por exemplo, que está lendo um conto sobre uma secadora de roupas industrial possuída, você vai rir dessa merda, mas quando você lê o conto sobre a mesma coisa ( The Mangler, que abre o livro) as coisas mudam. Algo muito legal é conhecer o conto que originou alguns filmes, como Crianças do Milharal que originou Colheita Maldita ou Caminhões que originou Maximum Overdrive.

É isso aí. Se você se interessou tá aqui o download em pdf, e se você for dexxcolado e quiser ler no seu tablet xing-ling aqui está o link para o download em epub. Boa leitura.

  • O_Comentarista

    ” esse filho da puta é um filho da puta muito filho da puta.”

    Ótima definição para pessoas.

    Vou começar a usar isso.

  • Anubis_Necromancer

    O Rasgo no Canto da Sala

    Eram 23:57.

    Marcelo estava ali sentado confortável em sua poltrona, de olhos fixos a um dos cantos da sala por horas.
    Não desviando por um único momento o dia inteiro, desde que recebera os resultados de seus exames e constatou o obvio, estava morrendo; e rápido.

    Calmo, continuou sua vigília tendo em mãos um copo meio vazio de chá, observava o canto como se aguardasse por algo advindo de lá, já que desde cedo, acomodou-se ali para tal fim.

    Relembrou de passagens de sua vida, quando sempre achou que morreria cedo, volta e meia algo ou alguém aparecia de um “canto qualquer” e o salvava.

    Aguardou tal ser, força ou divindade agora de olhos cerrados vir para salva-lo.
    Mas até o momento nada.

    Pois-se então um plano de invocação meio perdido pelos tempos que cursava a faculdade de literatura e meio que acidente topara com um livro chamado Tantibus de Convocatione (Google Tradutor…), onde ensinara modos de invocar seres que viviam entre os planos e ângulos de nosso mundo.

    Desfez o conteúdo de sua bolsa e começou a fazer um dos rituais para chamar um dos Seres que habitavam os Cantos, e sentara em sua poltrona aguardando eles responderem, passou-se o dia e chegou a noite, e até o momento nada deles aparecem.

    Quando cansou de esperar, tentou se levantar, mas não conseguira…

    E eram até o momento 23:59…

    Não se sabe o porque, mas Marcelo não conseguia se levantar, e olhando para o relógio viu a tal hora, mas havia algo errado, o ponteiro dos segundos não se mexia.

    Parado fixamente em 23:59:59, como se o que o prendera o também fizera com o tempo ali.

    Logo olhou para o canto da sala e vira algo que não estava lá, uma especie de rachadura na parede que emanava uma nevoa negra.

    Continuou a olhar para ela e a rachadura cresceu…

    Até se tornar um rasgo de grande porte que ia do chão até o teto da sala, e a neblina negra saindo por ela, mas não indo até além de 3 palmos em nosso mundo.

    Até que ouvira uma voz saindo de lá.

    -Queres que te salve? – perguntou a rouca e sinistra voz.
    Marcelo olhou o rasgo, e balbuciando:
    -Sim.
    De súbito, a voz retrucou:
    -Teu salvamento virá com um preço dessa vez. Pretendes pagar tal tributo.

    Sem pestanejar ou retroceder, Marcelo apenas diz;
    -Sim.
    Então o Rasgo explode, e de lá emerge uma sombra dantesca que não caberia em tal sala.

    Dizendo então para Marcelo, que observava o tal ser com os olhos arregalados, não acreditando no que estava vendo.
    -Factum est anima tua.

    E mergulhando em direção a Marcelo tudo fica enegrecido pela nevoa do Rasgo…

    No dia seguinte, Marcelo acordara aonde estivera a noite toda. Olhou para o canto assutado, mas tudo que havia lá era partes da parede enegrecidas como se fosse algum tipo de poeira negra.

    Tentou esquecer os fatos da noite, e fora em direção ao banheiro, olhando-se no espelho não vira quaisquer mudança aparente. mas ao olhar fixamente a um ponto em seu rosto, vira que havia um sinal inexistente.

    Assustado lembrou de súbito algo que a sombra o dissera:
    -Ela crescerá e tu serás meu…

    Deixando agora Marcelo bem de saúde, mas sem saber agora quando partirá..

  • Bob_Balburdia

    Istefano Kingue??? Vô lê não…

  • Achei que era aquela merda de filme do Depp com o Burton