Semana de Correr Atirando pra Cima – Gain Ground

gain ground

Tem o clássico e tem o só velho mesmo.

 

E Gain Ground certamente não é um deles. Não é tão ruim quanto Rambo 3, mas se destaca por não se destacar em nada.

 

Mediocridade é quase que um talento.

  • O_Comentarista

    “mas se destaca por não se destacar em nada.”

    Melhor frase para o jogo!

  • o Inconcebível Bob Balburdia

    Interessante. Se refizesse alguma coisa aqui e ali, tipo diminuir a dificuldade, personagens MAIS RÁPIDOS, fazer os personagens evoluírem, até que dava pra fazer um jogo bom.

  • o Inconcebível Bob Balburdia

    E só eu escutei um barulho de alguma coisa caindo ou algo assim num momento do vídeo?

  • Strider_Tag

    Eu tenho uma certa simpatia pelo Gain Ground. A dificuldade aumenta “por blocos” : jà no 2° mundo você jà percebe que a CPU não tà pra brincadeira, à partir do 3° então … Além disso, a velocidade dos personagens não ajuda.
    O problema é que não dà pra abordar o Gain Ground como um jogo de “correr e atirar pra cima”. Tem um elemento estratégia que entra em jogo. E pra quem joga pela 1a vez, sem saber o que cada personagem faz, o jogo não perdoa.

    Vale notar algumas curiosidades :
    -Na versão pra Master System, o 1° jogador joga com homens, o 2° jogador joga com mulheres
    -Na versão pra Mega Drive, tem 5 mundos ao invés de 4 do Arcade. O mundo 5 do Mega é o mundo 4 do Arcade, ou seja, o futuro. No 4° mundo do Mega Drive, você é transportado para a época moderna (anos 80 / 90)
    -Na versão Master System, tem também 5 mundos, mas as eles seguem a mesma ordem do Arcade, com a diferença do 5° mundo no MS ser também no futuro, mas são uma espécie de “corredor de acesso” para o Super Computador. E é bem dificil ! Outra diferença, na versão do MS dà pra escolher a ordem das fases, ou seja, dà pra ficar “recrutando” personagens eternamente. Mas isso sò vale até o 3° mundo. A partir do 4° tem que fazer as fases na raça.
    -Aconselho a trilha sonora remixada para a versão PC engine CD, chamada “gain ground SX”. O jogo também teve um remake que fazia parte da linha “Sega Ages” pra PS2, com uma trilha remixada também.