Review – O Homem da Terra

Desta vez vamos dar uma olhada em um dos meus filmes de ficção favoritos e um sério candidato a ser taxado como o “mais chato do mundo”. Mas dê uma chance a seu cérebro. Você não vai se arrepender.

 the-man-from-earth

 

Em uma cidadezinha dos EUA, o professor universitário John Oldman está de mudança e como todo cara de mudança, pediu a ajuda dos amigos. Assim como ele, são professores, de diversas áreas: um biológo, Harry; uma professora de História da Arte e cristã devota, Edith; um antropólogo, Dan; uma historiadora, apaixonada por ele, Sandy; o psiquiatra Dr. Will Gruber; o arqueologista Art e sua estudante que ele está pegando, Linda. E claro, lá, na cabana de onde ele está se mudando, haverá uma festa de despedida.

É onde as coisas acontecem. Ou melhor, não acontecem. Explico.

Os colegas de John querem saber porque ele está se mudando, após só dez anos, principalmente quando as coisas parecem estar indo bem para sua carreira. Ele dá a principio respostas clichezentas sobre “mudar de ares” e coisas assim, mas eles pressionam mais, pouco convencidos disso. E John sugere então um pequeno exercicio de imaginação, facilitado pelo fato de todos ali serem sujeitos graduados.

E se um homem do periodo Paleolitico sobrevivesse até hoje?

Como seria possivel, cientificamente falando? Segundo o biólogo, nossas células vão sendo renovadas em certos periodos de tempo, mas em um certo momento isso vai falhando, é quando vamos envelhecendo. Esse suposto homem das cavernas, teria que ter um sistema que não deixa de se renovar, mas é sim, possivel.

"Claro, como ele viveu até hoje sem o google é um mistério."

“Claro, como ele viveu até hoje sem o google é um mistério.”

O que ele pensaria, como se adaptaria? Os professores vão jogando isso com John, vendo a viabilidade não só organica disso, mas os efeitos psicologicos nesse sujeito, como ele viveria e tals. E eles vão mandando perguntas até perceberem que John começou a responder algumas de uma perspectiva de primeira pessoa.

E é isso o filme. Basicamente, um bando de pessoas falando numa cabana. E é sensacional.

Incriveis cenas de ação

Incriveis cenas de ação

O exercício mental deles, com teorias e contrateorias sobre o “homem imortal”. O modo como as coisas vão, com o perdão do trocadilho, evoluindo. O fato de que, o cro-magnon de 14.000 anos atrás ser indistinguivel do homem moderno. Como, (e SE) ele reteria conhecimento. Ver tudo morrer em sua volta.

Não é um filme dificil, a linguagem é bastante simples até, acessivel melhor dizendo. É com certeza um dos filmes mais parados já feitos. Mas repito, é sensacional, pelos dialogos e condução da trama. É preciso atenção, pois é basicamente, até devido ao fato de passar praticamente todo em uma sala de estar em uma cabana, dialogo. Uma

É um filme com pedigree digamos assim, pois é o último trabalho (literalmente falando, foi ditado no leito de morte) do escritor Jerome Bixby, que tem em seu curriculo, entre outros, o filme Além da Imaginação de 1983 e um dos mais aclamados episódios da série clássica de Star Trek, Mirror, Mirror.

Segue o trailer. E não preocupe. O diretor adorou o torrent. Sério. Então baixem sem remorso.

E antes que alguém diga, não é minha cinebiografia. Há 14.000 anos eu estava fazendo doutorado na Universidade de Aquilônia.

Zweist
11/12/2013
  • Homem de Gelo Seco

    Quem dirigiu esse filme? Michael Bay?

  • O_Comentarista

    “E antes que alguém diga, não é minha cinebiografia. Há 14.000 anos eu estava fazendo doutorado na Universidade de Aquilônia.”

    Zweist é bróder do Galactus.

    Parece interessante o filme. Um outro filme bom que só fica no diálogo é Deus da Carnificina.

  • Action Figure Assassino

    Se o filme é só eles conversando, podiam ter feito logo um podcast.

    • Slag Autobot

      Aí não veríamos a teteinha da clone da Hermione.

  • Miss Francine

    Outro filme muito bom, de ficção científica, que tem essa mesma pegada, é Transformers.

    • GandalfKenobi

      mostra como é a evolução de um erro para uma merda

  • GandalfKenobi

    Bixo, eu não gostod e 2001 e não aguentei ver ENCONTROS E DESENCONTROS até o fim só por causa da lentidão, vai ser difícil tomar coragem pra ver esse filme

    • O_Comentarista

      Vai esperar a resenha do filme, correto?

      • O Imorrível

        Pra ele, só por esse post do Zweist, já da pra falar mal do filme com propiedade.

  • Anubis_Necromancer

    Não adianta viver eternamente, se for viver na eterna solidão…

  • Slag Autobot

    Acho a ideia do filme bem legal. Mas por ser um filme cuja força se baseia no roteiro e diálogos, fica um pouco a desejar. Já faz algum tempo que vi o filme, então meu senso crítico não está tão afiado.

    Mas nem critico tanto o fato de John não ter nenhuma prova concreta, tipo uma foto, um documento, algo assim. Pq se até eu, com meus 30 e poucos anos já ando meio de saco cheio e já me desapeguei de várias coisas, imagina ele ficar carregando por anos e anos. E claro, se ele mostrasse uma prova definitiva, o filme acabaria ali.

    Mas pow, o cara com mais de 10 mil anos o cara ficou fazendo o quê? Andando e vagabundeando? Ele deveria ao menos saber várias línguas (coisas que não se esquecem tão facilmente).

    Mas o pior de todos os erros, foi o final. É muito frustrante ter um final explícito, em vez de deixar apenas subentendido. O filho dele poderia ter apenas uma vaga lembrança, bem depois, de alguém muito parecido com ele, dando a entender que poderia ser ele mesmo, ou um parente dele. Mas não preferiram jogar na cara.

    E até a “reviravolta” estava um filme bem lentinho. Só depois que dá uma melhorada. Desculpe, é o que acho.

    • Renver

      Eu já acho que seria mais interessante…

      Se ele não fosse Jesus, mas sim alguem ligado a Jesus (uma testemunha ocular)… mantendo o mesmo status de Jesus que o filme prega (sem ser imortal obviamente).

  • Kim DotCom

    Tem uns anos que vi o filme, achei muito bacana, pra quem não tá acostumado a ver filmes do circuito hipster de artes(Não que esse filme seja, nunca vi hipster incluir esse filme na listinha para aparecer), pode ter um choque, ficar entediado…é igual ao Let the right one in, tem outra pegada, diferente dos filmes americanos.

  • Renver

    Já vi esse filme… o filme favoritos dos ateus convictos…