Reciclando: Para ouvir antes de morrer – Sublime

capa

Banda boa de ska…. e post reaproveitado, o que só melhora tudo! :D

Volto com a sessão mais legal do site, falando de uma das bandas mais legais de todos os tempos, Sublime. Banda essa que semi-acabou muito precocemente, com a leitura vocês descobrirão o que quero dizer na realidade. Bora começar?

Sublime é uma banda de ska (mas com fortes influências de dub e reggae também) que teve inicio no final dos anos 80 na Califórnia. Sua formação inicial permaneceu dominando os palcos até rompimento da banda (relaxa, isso vem mais pra frente), com Eric no baixo, Bud na bateria, Brad na guita/vocal e Lou Dog, o mascote da banda. Sim… embora Lou Dog seja um dálmata, ele era considerado um importante membro da banda. Há diversas menções do cachorro nas letras das músicas e clipes da banda, sem contar os shows que ele participava.

1

Brad, seu filho e Lou Dog, o/

2

O primeiro álbum da banda, 40oz. to Freedom (1992) foi bastante popular nos Estados Unidos. Vendeu por volta de 2 milhões de cópias e teve críticas bem divididas, mas em geral, agradou muito o público. O destaque do álbum fica com Badfish, Smoke Two Joints, Date Rape e Don’t Push. Só lembrando que esse álbum foi bastante importante pro cenário musical californiano nessa época, cenário esse nomeado como “rock californiano”.

Sublime-40_Oz_To_Freedom_(1992)-Frontal

Capa do primeiro cd, 40oz. to Freedom. Essa imagem do sol é cláááássica.

Após um excelente álbum de estréia, a banda começou a trabalhar para o segundo. Lançado em 1994, Robbin’ the Hood era um álbum bastante experimental, tanto que resultou em boas críticas, mas em péssima vendagem. Diversas experimentações, colaborações e samples foram utilizados nas músicas. O motivo? Muitos dizem que era uma crítica da banda para um tom comercial de suas músicas, mas não até onde isso é verdade e faz algum sentido. E nem importa, curto bastante esse álbum. Os destaques ficam com Pool Shark, Saw Red (colaboração com a diliça da Gwen Stefani), S.T.P. e Boss D.J.

fc89122e34

Álbum Robbin’ the Hood

Vale lembrar que junto com a gravação desse álbum, diversas músicas demos foram produzidas. Músicas essas que seriam usadas no próximo CD e constituiriam seus maiores hits.

Tudo andava “muito bem” até o fatídico início de 1996. A gravação do terceiro álbum da banda havia sido concluído e isso era simplesmente sensacional. O problema foi que Brad morreu antes do lançamento do mesmo. A causa foi overdose de heroína, logo depois de um show, em 25 de maio. Aproximadamente 2 meses depois da ocorrência, o álbum Sublime foi oficialmente lançado. Esse foi o melhor álbum da banda até então, tanto em críticas, quanto em vendas e hits. Clássicos absolutos como Garden Grove, What I Got, Wrong Way, April 29 1992 (detalhe que Brad estava locão na gravação e cantou 22 na música inteira, no lugar de 29), Santeria, Jailhouse, Seed, Get Ready e Doin’ Time estavam presentes. O único problema é que faltava uma coisa apenas, Brad(ley). Os mercenários empresários da banda chegaram a cogitar a possibilidade da banda prosseguir com um novo álbum, felizmente a resposta da “banda” foi categórica: “Assim como Nirvana, Sublime morreu com a morte de Brad”. Nada mais justo. Bom… essa é, pra mim, uma das maiores faltas musicais. A morte do Brad é uma das poucas coisas que adoraria mudar… Enfim, vamos seguir com o texto.

Cover_Sublime_300RGB__72194_zoom

Capa do melhor cd da banda, Sublime.
Curiosidade inútil: essa tatuagem é do vocalista da banda.

Depois de muito tempo, mas muito mesmo, começaram a rolar rumores de um possível retorno da banda. Até que isso foi oficializado. No ano de 2009, juntamente com o ingresso de Rome Ramirez (um fã incondicional da banda e com timbres semelhantes a Brad), Sublime voltou. Mas foi por pouco tempo, já que judicialmente não poderiam usar esse nome. Algum tempo depois o nome da banda consolidou-se como Sublime With Rome. Pronto, não estaríamos mais órfãos da banda! Será?

Sublime With Rome é uma banda nova. Quer dizer, Sublime era sensacional, era incomparável, era Sublime. SWR (para abreviar) é uma  banda excelente, mas não é Sublime… é, apenas, SWR.

1

Primeira formação da SWR.

Sonoramente, Rome é bom. Bastante comercial e com ótima energia… talvez fosse o toque que a banda precisasse para voltar com estilo. Novas músicas foram gravadas (o álbum chama-se Yours Truly, do ano de 2011) e shows foram feitos, com algumas passagens pelo Brasil inclusive. Dizem que o show no SWU foi sensacional. Não tive a oportunidade de ir e nem o vi inteiro, só algumas músicas. Uma boa banda voltou. E isso é tudo.

Sublime-with-Rome-Yours-Truly-COVER

Capa do álbum Yours Truly

Passados alguns meses do lançamento do primeiro álbum da SWR, fomos informados oficialmente da saída de Bud (o mortherfuckin’ batera, caso não lembrem), permanecendo apenas com Eric da formação original. Quando questionado sobre a possibilidade voltar a gravar com SWR, além de seus sentimentos sobre tocar as músicas do Sublime, Bud foi categórico:

No, I am done with SWR. I would be into playing music with Eric Wilson, however. […] It was really good for the first few months, after that, it just felt wrong. Not playing the songs but playing them with the name Sublime, without Brad.

Caso alguém não consiga entender, ele disse algo como estar de boas para voltar com a  SWR, mas toparia facilmente fazer um som com Eric novamente. Mencinou o fato de sentir-se meio estranho tocando com o nome Sublime sem Brad, apesar de considerar os primeiros meses ótimos. Bom, Bud tem meus cumprimentos e admiração pela ação tomada, embora eu não condene o restante da banda.

Essas músicas aí de cima são todos covers. O primeiro video é de Jack Johnson, com Badfish e Boss Dj, versões incríveis, por sinal! Logo abaixo temos 2 videos da banda Badfish, que é o cover oficial de Sublime. O mais curioso de tudo é que o vocalista da banda tem o mesmo timbre, presença de palco e trejeitos de Brad, :’). Por último, e não menos importante, SWR com uma versão ao vivo de Santeria, tocada aqui no Brasil, em 2010. Cara, essa versão tá monstruosa! o/

E creio que seja isso. Sublime é, possívelmente, minha banda favorita. E por isso tentei dar uma caprichada nas informações. Provavelmente devo começar a trazer algumas coisas mais completas, como esse post aqui. Espero que tenham gostado do post e, principalmente, espero que tenham ouvido a banda. Vale muito a pena, tanto Sublime quanto SWR. Abraços pra todo mundo, o/

  • Onofre Ricardo

    Essa banda parece maneira. Depois vou dar uma olhada.

    • cgui

      faça isso… vibe boa pacaralho! :)

  • Ótimo post Cgui, desconhecia o fato da banda ter voltado depois, muito bom!

    • cgui

      SWR não tão maior, mas ainda maior.. :)

  • cgui

    Shabbaaaaaaaaaaaaaaaaaa