PARA OUVIR ANTES DE MORRER – ME AND THAT MAN: SONGS OF LOVE AND DEATH

Me-and-That-Man-Cover

No que dá juntar um vocalista de Doom Metal, um cantor de southern folk, muito whisky e um violão?

Fazer sempre a mesma coisa cansa; Você perde o tesão, a criatividade e a manha de realizar um trabalho bem feito. Querendo ou não, todo mundo passa pelo dilema de mudar e fazer algo novo ou morrer fazendo a mesma bosta de sempre, e isso só piora quando você é um artista. Claro, algumas vezes tais mudanças são servem para ganhar dinheiro (Metallica, mesmo amando o Load e o ReLoad, estou falando de você!), mas, como na vida, mudar e tentar novas coisa é mais do que preciso: É essencial.

Sorte que Adam “Nergal” Darski e John Porter sabem muito bem disso.

meandthatman_2017

Adam “Nergal” Darski (esquerda) e John Porter (direita).

Enquanto o primeiro é um satanista, ex jurado do The Voice polonês (!!!), vocalista da banda polonesa de Doom Metal “Behemoth” – uma das maiores bandas de metal do país e da atualidade -, o segundo é um britânico que, junto com a sua esposa e cantora  Anita Lipnicka, decidiu seguir a sua carreira musical na Polônia, dando vida a canções folks que tocam na alma. Tirando o país aonde moram, os dois não tem nada em comum, mas Satã achou que a união dos dois renderia algo interessante, e assim nasceu o disco “Songs of Love And Death”, do Me And That Men.

Cover

Capa do “Songs of Love And Death”.

Lançado em 2016, “Songs of Love And Death”, mostra Nergal e Porter cantando sobre a vida, morte, amor, sexo e um tiquinho de satanismo numa mistura de country, folk e rock. Nergal, que deixa de lado o vocal gutural, mostra uma bela voz amargurada, e é ele o responsável pelas músicas mais sombrias, enquanto John Porter dá uma balanceada no CD com músicas mais calmas e, por que não, românticas, criando um equilíbrio perfeito entre o assustador e o belo. Faixas como “Cross My Hearth And Hope To Die” (que conta com um incrível coral de crianças cantando “Nós traímos nosso doce Jesus/Nós escolhemos o inferno na terra”) e “Magdalene” dão ao CD um gostinho infernal, já “Of Sirens, Vampires And Lovers” e “Aint t Much Loving” fazem o ouvinte sentir uma melancolia arrebatadora. Não é fácil mudar de clima sem parecer forçado ou desconexo, mas a Nergan e Porter fazem isso de forma orgânica e fluida.

17434838_2230555817168555_8931795105122538735_o

Sobre as letras das canções, Nergal foi bem direto: “Com esse projeto, tento contar histórias simples, de uma maneira natural, orgânica e despojada, dispensando metáforas e significados ocultos”.

Claro, nem tudo é perfeito: “Better The Devil i Know” e “Shaman Blues” soam como o Danzig de ressaca, sendo que nem sóbrio o ex vocalista do Misfits soa legal, mas, hey, diante da proposta de unir um vocalista de Doom Metal e um cantor de country britânico, o resultado saiu muito acima do esperado.

Além de ser uma bela porta de entrada para o Behemoth e os trabalhos do John Porter, “Songs of Love And Death” é um belo disco que merece ser escutado com calma e carinho, mostrando que os satanistas também amam e querem um momento de paz.

8 de 10 diabinhos.

E, caso você queira conhecer os outros trabalhos dos caras, fica aqui algumas músicas deles:

 

 

  • O_Comentarista

    Mistura estranha, mas ficou bom o som.

    E qto mais diabinho melhor? Ou é medida Gariba?

    • Primo Vermelho

      Quanto mais diabinhos, melhor!

  • Dr. Manhattan

    Fico feliz do retorno do Franguinho do Capeta ao site.
    Ah, não… Péra…

    • Primo Vermelho

      Sou o primo do Franguinho :P

      • Anubis_Necromancer

        Como ele tá?

        • O_Comentarista

          Tá comendo cu de curioso.

  • [Better Call Harvey]

    mEDO 0_0