Para ouvir antes de morrer – David Bowie

Eu odeio o fato de fazer um Para ouvir antes de morrer do Bowie logo depois de sua morte.

Parece um oportunismo barato. Então me desculpa aí!

Mas passando para o lado bom da coisa, vamos falar um pouco de uma das figuras mais icônicas do mundo das músicas.

O sr. Bowie nasceu no longínquo 8 de Janeiro de 47 e, desde então, construiu um currículo invejoso. Cantor, compositor, (multi)instrumentista, produtor musical, ator e mais uma caralhada de coisas.

Sendo o bom capricorniano que é, ambição e profissionalismo exalavam de sua pele. Assim como aquela calma e estabilidade sempre guiando um objetivo maior. E esse objetivo, senhoras e senhores, era o mundo. Não, me desculpa… o universo. Nem preciso mencionar que esse facilmente rendeu-se à seus pés.

Não quero ser um cuzão hipócrita do caralho… eu não sou o fã de Bowie. Já ouvi quase tudo o que ele fez e achei seu começo de carreira meio broxante. De fato nada dele tinha me chamado muita atenção até o The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars. E, meus amigos, como chamou atenção! Foi ali que tive duas certezas estrondosas sobre David Bowie: Ele tinha um carisma inigualável e sua perícia musical era aguçadíssima!

Acho que, depois disso, falar incrivelmente bem dele é chover no molhado. Entre resgatar epicamente Lou Reed e Iggy Pop (leia um pouco mais sobre Iggy and the Stooges AQUI no texto do Godoka), Bowie sempre estava pronto para emplacar mais um hit.

Eu li muitos artigos, pensamentos, impressões e relatos sobre Bowie. Sempre que concluía um ficava com a impressão de que ele era o tiozinho mais legal do planeta. Aprendi, também, que David era um manipulador. Ele fazia suas apresentações, músicas e performances de uma forma que você visse exatamente aquilo que ele quisesse. Se ele não quisesse você não via. Simples assim. Seu status de “camaleão” sempre era referência para tratar de sua excentricidade, porém nos deixávamos levar por isso e esquecíamos que o que Bowie queria com aquilo tudo era que sua arte permanecesse tão transgressora e desafiadora quanto imortal. Tal qual o próprio.

Costumamos falar que o que é bom dura pouco, mas no fundo sabemos que tudo dura pouco. Exceto para Bowie. Tal como um meteoro que não muda sua trajetória, o moço não mudou seu caminho nem mesmo quando já estava no auge.

E foi com a mesma intensidade que sentimos sua separação de nós. Sei que ele só pegou um colante marciano, suas botas enormes, sua guitarra vermelha, subiu no primeiro foguete que viu e partiu em uma viagem sem volta para Marte. Tenho certeza que ele não olhou para trás. Ele não precisa disso, já que estaríamos todos olhando por ele daqui.

De repente continuar com esse texto é complicado. Eu saí muito da minha zona de conforto escrevendo isso. Peço perdão, novamente, pelo aproveitamento e sensacionalismo, mas eu precisava falar brevemente sobre essa lenda. Mesmo conhecendo pouco, sei que esse pouco é o suficiente para me acompanhar por toda uma vida, assim como ele também acompanha a vida de muitíssimas pessoas.

Acho que a última coisa que gostaria de falar é que o universo é seu e sempre será.

Boa viagem, herói!

  • O_Comentarista

    O foda que os bons vão morrendo e não tem ninguém pra substituir…

    Pra mim a melhor música dele é Space Oddity.

  • Ótimo post Cgui, Bowie fodão! :)

  • Anubis_Necromancer

    Minha contribuição

    Ainda é difícil aceitar que ele se foi…
    Eu ia comprar o Blackstar nesse próximo fds.

  • Strider_Tag

    Faz um tempinho que tenho desenvolvido uma grande afeição por “Never Let me down” (do album do mesmo nome). Muita gente não gosta desse album, e era uma fase “pouco inspirada” do Bowie.

    Pra dizer a verdade, acompanhei muito pouco do Bowie antes e depois dos anos 80. Recentemente, ao acompanhar “Jojo’s Bizarre Adventure” (e virar fã do Mangà), vì que o vilão da 4a temporada, Yoshikage Kira, é IGUALZINHO ao David Bowie da fase “anos 80” (“Thin White Duke”), e PIREI.

  • Frogwalken

    Here we are, born to be Kings. We’re the princes of the Universe

    E essa é CRÁSSICA!
    BWAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHA

  • Frogwalken

    Mais umas!

  • Frogwalken
  • Eu curti muito a trilha do Guardião das Galacta, e recentemente assisti ao Matt Damon Marciano e vi que o cara tava na trilha, baixei um best of e curti pra caramba, me assustei com a noticia. Post massa :)

  • Bob Balburdia

    Eu não era fã do Boiwe, mas prestarei uma homenagem:

    Sempre estar lá
    E ver ele voltar
    Não era mais o mesmo
    Mas estava em seu lugar

    Sempre estar lá
    E ver ele voltar
    O tolo teme a noite
    Como a noite
    Vai temer o fogo

    Vou chorar sem medo
    Vou lembrar do tempo
    De onde eu via o mundo azul

  • O Impronunciável Zweist

    Tarde demais.

    Ah. Pra ouvir antes que EU morresse? Ai sim.

  • Thomas, The Pink Lantern

    Cara… uma perda muito foda…

  • Pingback: 4cyn5et4m5t94c5t9m4vn54cx65()

  • Pingback: cm54xtcn5wyxjcmt5neywtfasdw4cet()

  • Pingback: cnwy54wy54wy54wy5435te4c5t34()

  • Pingback: 3tnxyc3ut5x45wmtcy5454tnc3c()