LJA – Torre de Babel

torres-de-babel-0d4942c1b6863a89a6229eb54326da4f-640-0

“Mas que filha da puta, veja você!”torres-de-babel-0d4942c1b6863a89a6229eb54326da4f-640-0

Terceira história da DC, quarto encadernado e até o momento tá tranquilo, tá favorável.

Torre de Babel é uma arco com lançado em cinco edições que saiu entre julho e dezembro do longínquo ano 2000. Na história, Rhas Al Ghul, o bioterrorista fodão e inimigo do bátima resolve colocar um audacioso plano para diminuir drasticamente o número de seres humanos que infectam o planeta todos os dias com sua existência. Para  isso ele desenvolve  um transmissor capaz de embaralhar o cérebro de todas as pessoas do mundo, fazendo com que as mesmas fiquem impossibilitadas de compreender a língua escrita e até a fala.

Um plano simples e efetivo, já que sem a compreensão da escrita alguns serviços básicos como transporte até ações que afetam milhares de pessoas como transações na bolsa de valores e limites territoriais de países à beira de um conflito mergulham no mais completo caos. Mas acontece que um vilão de quadrinhos vive em um mundo onde existem heróis de quadrinhos, pra ser mai exato a Liga da Justiça, que nessa época contava com os heróis mais poderosos do mundo, além do Kyle Rayner, o Aquaman e o bátima.

Mas acontece que Rahs Al Ghul não é nenhum idiota, e antes de colocar o seu plano de desordem mundial ele encontra um meio de desabilitar os membros da Liga um a um de acordo com suas maiores fraquezas e medos. Ajax (Caçador de Marte é milha rola!) é sensível ao fogo, Aquaman depende da água para viver, então hidrofobia no seu caso seria letal, o maior medo de Kyle Rayner é ficar cego. Mas como Rhas saberia dessas coisas? A resposta é simples: bátima.

7DtVDHD

Todo mundo sabe que o bátima é um pau no cu, um filho da puta que tem que traçar um plano cinquenta anos antes da ação pra não voltar pra casa dentro de uma latrina. Então era de se esperar que esse bosta tivesse um plano e arma para derrotar cada um de seus “amigos”, até mesmos os mais antigos, como o Superman. Disso para o vilão da vez conseguir uma maneira de colocar suas mãos maléficas nos esquemas da morcega é seis palito!

Os roteiros ficaram por conta de Mark Waid, e nuca li nada do cara que eu achasse ruim. Não, eu não li a fase dele no Hulk. A história tem um desenrolar maneiro, sem muitos mistérios, sem suspense desnecessário ou alongado além do suportável e é bem fechadinha até, li o encadernado em uma sentada. Mas o que pega nessa edição é a arte.

A DC devia estar passando por maus bocados nessa época. Parece que alguém resolveu chamar o sobrinho que gosta de desenhar e está começando a fazer aulas em vez de chamar um desenhista de verdade. Eu nunca li nada de quadrinhos dos anos 90, mas acho que isso aqui chega perto, que troço horrível. Todo mundo do tem cara de retardado nessa porra de história, sem falar na anatomia sofrível. Nunca tinha visto nenhum trabalho do Howard Porter, e depois desse eu espero nunca mais ver outro, até o momento esse é o pior desenhista em uma coleção de encadernados que tem nomes como Jim Lee e Ed McGuiness.

rsymWEF

Pra não dizer que o encadernado é um lixo completo, os extras salvam. O extra, pra ser mais exato. The Brave and The Bold nº 28, de 1960 mostra a primeira aventura da Liga da Justiça, enfrentando Starro, a estrela do mar gigante alienígena capaz de controlar mentes. A história é pueril, o que pode surpreender os velhos e virgens fãs de quadrinhos ao lembrarem que quadrinhos (principalmente os de super heróis) eram e continuam sendo produdos voltados para o público infantojuvenil. Mas não deixa de ser um momento histórico, mesmo não senda a primeira reunião de vários heróis da DC (Sociedade da Justiça nunca esquecer!).

3668126-28

No saldo final, história boa com arte de sangrar os olhos, comprem por sua conta e risco.

Godoka
24/02/2016
  • O_Comentarista

    Tb existe um plano para derrotar cada um dos amiches:

    Evandro – tirar a cerveja
    Cgui – tirar as drogas
    Zweist – manda-lo para um spa vegano
    Vinnie – jogar ele na 25 de Março perto do Natal
    Manhattan – fazer com que ele não tenha mais acesso a pornografia na internet.
    Gariba – esse não precisa de nada. A vida já o derrotou…

    • Tirar a pornografia não vai vencer o Manhattan. basta uns remédinhos pra cachola e algumas HQs do Visão e pronto.

      • O_Comentarista

        E fazer ele ouvir Ramones.

    • Frogwalken

      Esqueceu do Tom.

      • O_Comentarista

        Ele é novo no site. Ainda não sabemos as fraquezas dele.

      • [Better Call Harvey]

        Jogar uma mulépeladanuapornor

    • [Better Call Harvey]

      AUShuAHUSHuhAUHSUhaUHSUAU

      Fraquezas dos amiches:

      Evandro – STEAMSALE;
      CGui – Dorgas e Tatuagem;
      Godoka – dipirona Max Payne e merdas equivalentes;
      Zweist – Qualquer tipo de animal servido com acompanhamentos e molhos variados, além das “cortesias” do jornaleiro;
      Vinnie – a simples existência de tudo;
      Gariba – Digimon; Naruto e qualquer outra franquia inferior A vida já o derrotou [2]

  • Felipe P. Silveira

    realmente a DC teve uma época de desenhistas horríveis. Esses tempos peguei os formatinhos “Melhores do Mundo” pra ler umas historias do Morrison e cara, tem uns desenhista muito ruim. Parece a Marvel hoje!

  • Strider_Tag

    Confesso que a arte do Howard Porter é ZIBARRA, mas a gente se acostuma.
    Ah, e claro, o Porter desenhou quase TODA a fase Morrison na JLA/LJA.

  • Egon – Aroma ito

    “Mark Waid, e nuca li nada do cara que eu achasse ruim. Não, eu não li a fase dele no Hulk” mas o hulk dele é bom, o foda é que não arranjavam nenhum desenhista decente

  • O_Puto

    O Howard Porter teve um acidente e machucou a mão, quase rompeu o tendão do polegar. Ficou dois anos de molho e hoje tá desenhando completamente diferente disso aí. Muito melhor. Ele é o desenhista de Liga da Justiça 3000.

  • Bob Balburdia

    Foi essa Hq que serviu de base pra uma animação da DC, não?

  • Glaydson Melo

    Procura a “arte” de um cara chamado Jon Bogdanov que ilustrou histórias do Super-Homem. Aí. Faz o Liefeld parecer um artista da Renascença.

    • Tenho que confessar que não acho o Bogdanov tão ruim, só muito estilizado.

      • Glaydson Melo

        Realmente ele é bastante estilizado. Meu primeiro contato com a arte dele foi numa edição da Abril chamada Marvel Saga, uma história do Quarteto Fantástico contra X-Men, logo após o Massacre de Mutantes. A arte dele estava excelente. No Superman não estava tao ruim, mas tem uma fase dele no X-Factor que não consegui gostar de jeito algum. O ápice pra mim foi durante o Programa de Extermínio.

  • [Better Call Harvey]

    Me lançam “liga da justiça torre de babel” que é basicamente uma história do Batman e não lançaram a porra da Liga da Justiça internacional.

    PORRA DÊCÊ PORRAAAAAAAAAAA

    *Aguardo anciosamente pelo resumo do encadernado MORTE EM FAMÍLIA!!

    Esse se páh eu compro porque é a morte do DICK AQUELE VIADINHO Robin

  • Pingback: xmt85c4wx5ctwxw3tcerthve56()