Judas Priest – British Steel

Porque se o Black Sabbath são os pais do heavy metal, o Judas Priest foi quem pegou pra criar.judas_priest_-_1980_british_steelMais um disco pra essa coluna que a cada dia bate recordes negativos de acessos.

Quando você pensa no estereótipo do headbanger de antigamente o que vem facilmente na cabeça são as roupas de couro e acessórios com spikes, além de motocicletas, óculos aviador e botas. Bem, agradeça isso ao Judas Priest. E se você é, já foi ou conhece alguém que se veste assim, conte a ele que Rob Halford tirou esse visual dos bares gays que frequentava.

Mas sexualidades a parte, é inegável a contribuição do Priest ao metal, e não é só pelas roupas. A banda é uma verdadeira instituição do metal, com clássicos e mais clássicos do gênero.

Um dos meus favoritos é esse álbum de 1980, provavelmente um dos mais importantes da carreira da banda. Não que antes dele a banda já não fosse reconhecida, seus 5 discos anteriores já haviam transformado a banda em uma das grandes da N.W.O.B.H.M. (New Wave Of British Heavy Metal), e o disco ao vivo Unleashed In The East que vem logo antes de British Steel é tido como um dos melhores discos ao vivo do heavy metal.

O problema é o mercado americano. O problema é sempre o mercado americano. É meio complicado para as bandas da terra da rainha fazer sucesso na erra do Tio Sam, e foi com British Steel que o Padre Judas conseguiu tal feito. Mas também pudera, depois desse disco qualquer débil mental americano teria que reconhecer o talento dos caras.

O disco abre com Rapid Fire, uma boa música de abertura mas que não chega a ser um dos destaques do disco, ao contrário da próxima música. Com uma letra que fala sobre um futuro pós apocalíptico onde as máquinas sobrepujaram o ser humano, Metal Gods é um dos hinos da banda.

Pulando direto para outro hino. A terceira faixa do disco é Breaking The Law, outro clássico absoluto da banda, música que Rob Halford apenas assistiu o público cantar quando esteve no Brisail com sua banda solo no Rock In Rio III. O disco segue com Grinder e United.

Mais duas pérolas do disco, You Don’t Have to Be Old to Be Wise e Livin After Midnight, duas das minhas preferidas da banda. E como se já não fosse o bastante, após The Rage o disco fecha com Steeler, uma música pra fechar o disco com chave de ouro.

Adicione o conteúdo do disco a uma das capas do metal mais tensas que existe e tá feito. Aprecie no volume máximo.

Judas-Priest