Falcão – O Campeão dos Campeões

30Ey6s4eAn8968g0rIMY8vLqxTo

“Eu me sinto como um caminhão” – Optimus Prime

Houve um tempo que havia uma produtora de cinema chamada Cannon. Ela era especializada, não de propósito, em filmes digamos, mediocres. Mas que são na verdade foda pra caralho. São dessa produtora pérolas como o filme do Capitão América de 1990, aquele das orelhas de borracha, Comando Delta, Bradock e muitos outros.

Na época, Stallone ainda não tinha o valor de passe que passou a ter depois, de modo que a Cannon conseguiu colocar ele em dois filmes, Cobra e Falcão, O Campeão dos Campeões.

Na história, o caminhoneiro Lincoln Falcão é contatado pela sua esposa, que ele aparentemente abandonou, para levar até ela o filho deles, Michael, antes de uma importante cirurgia ao qual ela irá se submeter.

falcao_1

E o guri odeia ele com todas as forças, o que não melhora depois que a mulher morre na tal cirurgia e começa uma batalha judicial entre Falcão e o avô cusão do moleque, que na verdade sumia com as cartas que Lincoln mandava pra ele e provavelmente foi a razão do cara ir embora.

Nessas Falcão e o guri já estão juntos na estrada à alguns dias e começaram a se conectar como pai e filho. Mas o velho tem muita grana, então foda-se a lei.

Então Falcão resolve apostar tudo em um campeonato de queda de braço em Las Vegas, onde o prêmio vai ser um porrilhão de grana e um puta caminhão foda. Mas pra isso ele tem que enfrentar caras com nomes fodas e que parecem vagamente humanos, como John Grizzly, Harry Bosco e o campeão, Bull Harley.

maxresdefault (2)

“O que eu faço é pegar assim o meu boné e virar pra trás….”, bem, eu também fazia isso.

O titulo em inglês “Over the Top” além da tradução básica também se refere à aquele esquema do Falcão de colocar os dedos em cima dos dedos do oponente.

Stallone topou fazer porque jogaram um monte de grana no colo dele, e ele pensou que ninguém ia ver mesmo. Mas quem viu e chorou com o resultado final foi David Engelbach, o cara que escreveu o roteiro.

Era um dos Mestres das Reprises da Sessão da Tarde  e por isso mesmo foi o filme que quase fez os amiches abdicarem de uma convenção de quadrinhos. Não foi bem recebido nem pelo publico nem pela critica na época. E na verdade, nem é bom exceto as partes das lutas. Ou talvez nem aí.

53

  • Filme maneiro, me diverte.

  • Egon-arseface pra preacher

    não importa quantas vezes eu assista… eu quero espancar esse moleque

    • O_Comentarista

      Somos 2 então.

    • Frogwalken

      Não sei quem é mais fresco, esse moleque ou o Daniel-San.

      • JJota

        Pra que escolher? Surra nos dois!

  • O_Comentarista

    O Zweist sempre fala do boné dele, mas nunca vi ele usando nos encontrolões.

    E o moleque era chato pra caralho, pqp!

    • O Impronunciável Zweist

      Eu não uso mais para não ser confundido com alguém do MST. Só quem viu foi numa das viagens pro sul.

  • o Inconcebível Bob Balburdia

    Não sabia que odiavam tanto esse filme. Pra mim sempre foi um crássico da Sessão da Tarde.

  • Frogwalken

    O melhor desse filme era a música do Kenny Loggins! =D

    • Strider_Tag

      Caramba ! Não sabia que era do Kenny “Danger Zone” Loggins essa mùsica … Valeu !!

      • Frogwalken

        Kenny ” Footloose ” Loggins =D

  • [Better Call Harvey]

    filme massa de mais!!!

    quem dera se eu fosse um caminhoneiro que atravessa o pais disputando queda-de-braço….

    e ainda usando um boné do The King of Fighters

  • O_Puto

    Na última foto o moleque tá a cara do Robert Zdar. Abre o olho, Falcão!

  • Lave essa boca imunda antes de falar do Stallone!