Crucified Barbara – Uma banda linda!

Guitarras distorcidas e suecas gostosas, vai recusar?

Çedussaum

Çedussaum

Salve amiches, hoje vou recomendar uma banda que a galera já tá de saco cheio de eu falar sobre lá no QG.

Bem, pra quem não sabe e não tem mania de ficar procurando música nova por aí, existe uma cena muito forte de hard rock na Suécia. Em vez dos clássicos castelos e dragões, o assunto aqui é o bom e velho rock regado a cerveja, mulheres e motocicletas.
E nesse país famoso por suas mulheres maravilhosas que nasceu em 1998 o Crucified Barbara. Formada por Mia Coldheart (guitarra, vocal), Ida Evileye (baixo), Nicki Wicked (bateria) e Klara Force (force), a banda possui uma sonoridade muito característica, um hard rock direto e sem frescuras, indo muitas vezes por uma diretriz mais pesada que seus conterrâneos e irmãos de estilo.

Crucified_Barbara_1_AP

Em 2005 a banda lançou seu primeiro álbum intitulado “In Distorcion We Trust”, que possui ótimas músicas, apesar do pouco cuidado em relação à pós produção do disco. Porém isso não incomoda quando se escuta músicas com os nomes sugestivos de “I Need a Cowboy From Hell”, “Motorfucker”, “Play Me Hard” e “I Wet Myself”.

Após a boa aceitação do público e uma longa turnê de divulgação do primeiro disco, saiu em 2009 o segundo petardo que se chama “Til Death Do Us Party”, esse sim um disco produzido no nível que a banda merece. O álbum apresenta uma clara evolução e direcionamento da banda para uma vertente mais pesada, e mais uma vez clássicos instantâneos como “Pain And Pleasure”, “Sex Action”, “Creatures” e a balada “Jennyfer” que também é considerada uma das mais fracas do disco, mas eu gosto então que se foda.

Em 2012 lançaram o álbum mais recente, “Midnight Chase”, seguindo a mesma vertente do seu predecessor. Difícil destacar alguma música devido a homogeneidade do mesmo, mas eu arrisco a dizer que “The Crucifier”, “Into the Fire”, “Rules and Bones” (como não se apaixonar por uma mulher berrando ‘rules and bones are made to be broken’?).

Fica a dica, se você curte um hard raiz, hard de várzea, hard moleque com algumas boas doses de Motörhead junto confira a banda. Se não gostar vale a pena só procurar no google imagens.

As loiras que me perdoem, mas morenice é fundamental.

As loiras que me perdoem, mas morenice é fundamental.

  • O_Comentarista

    Já gostei da banda só pelo q vi.

  • SLAGarto de pinto, o novo MDM?

    Eu comeria… depois que desse um banho nelas.

  • David EVH

    Não li , só vim pelos Vidios !

  • Dr. Manhattan

    Guitarras distorcidas e suecas gostosas

    Qualquer uma das alternativas já teria me feito abrir o pÓstE. Vou escuLtar mais tarde.

  • Evandro Loco

    Só pelas minas já vale, mas o som é maneiro também!

    • Maicon Beggi

      Procure pela Taylor Momsen também (vocalista da banda The Pretty Reckless) ai você verá como cresceu a garotinha que contracenou com o Jim Carey em “Grynch” cresceu)

  • GaribilboBolseta

    Achei q o “poste” era do vinnie, mas lembrei que ele não dá moral, então caí na real!

  • cgui

    que foda…
    e elas mandam benzaço!!!!!
    ótimo post, Edson… entende?!

  • Carlos Henrique

    vOU conferir o trabalho delhas,