Avatar: A lenda de Korra – Series Finale.

 

the-legend-of-korra-13

Se você não assistiu ao desfeito do último livro, melhor cair fora.  Pelo seu próprio bem, apenas vá.

 

Bom, agora queria deixar claro que não vou falar dos outros livros, ou da condução do atual livro, estou aqui pra falar apenas do final e da série como um todo. Me perdoem a falta de mais detalhes. Até pois é melhor irem ver com seus próprios olhos.

Senti falta da Naga no final.

Senti falta da Naga no final.

Esse livro, diferente dos outros começou com a avatar por baixo. Após sobreviver ao confronto com Zaheer por um fio, Korra estava quebrada tanto física quanto mentalmente.  Korra estava tendo que recuperar sua saúde e reaprender a andar (numa sessão que me fez ter ainda mais respeito por profissionais como Godoka e o Vinnie), além de passar por uma série de provações para voltar a ficar em paz e restabelecer sua conexão com Raava, o grande espirito da ordem e da luz que liga todos os Avatares.  Ao todo, foram 3 anos entre o Livro 3 e 4. Enquanto isso, a nação da Terra recuperava-se do assassinato da Rainha da Terra, por Zaheer. Nisso surgiu a figura de Kuvira, a Grande Unificadora.

kuvira-baatar-jr

Kuriva foi se mostrando ao longo dessa temporada, uma ditadora implacável, que não apenas criava unificação com mão-de-ferro, como também causava expurgos de pessoas que não fossem da nação da terra. Essa temporada mais que todas, se assemelhou com a Segunda Guerra. Kuvira, levou a nação da terra a uma postura mais militar e usando as glórias do passado,   trazendo de volta o nome de “Império” para a nação. Líder carismática que fala da superioridade racial, promove expurgos com “campos de reeducação”, usa de propaganda nacionalista extremista. Isso lembra alguém?

Varrik que por um tempo, junto de Bolin foram enganados pelos benefícios que Kuvira trazia, sem perceber que era tudo uma armadilha para alcançar poder. Ela não trazia ordem, trazia opressão. E segurança sem liberdade, não é segurança. É apenas medo. Desculpe, me perdi no meio do discurso a lá Capitão América. Infelizmente pra mim,  questões como liberdade, segurança, ordem e paz, acabam sendo questões pessoas, que não cabem ser explicadas aqui. Varrik usando os cipós do mundo espiritual, que agora estão servindo de morada para os espíritos que vivem na terra criou uma super-arma. Um super-canhão laser de energia espiritual. Ok. Na verdade Varrik apenas criou a forma de transformar os cipós em uma forma de energia limpa, para assim minimizar gastos com eletricidade e seu prejuízo ambiental.  Quando finalmente o Tony Stark do mundo de Avatar faz algo genuinamente altruísta, transformam isso em arma (A todos os cientistas utilizados no projeto Manhattan, aqui fica uma pequena homenagem).

Aquilo no chão, são pessoas.

Aquilo no chão, são pessoas.

Não vou falar da interação entre Korra e Toph, Principe Wu (Herdeiro legitimo ao trono da Nação da Terra), ou de como a família Beifong acertou as coisas. Isso é melhor para ser vista mesmo. Agora, tudo culmina com o exercito de Kuvira indo tomar Republic City, que antes de sua fundação, eram terras da Nação da Terra. Antes da chegada de Kuvira, enquanto debatia-se se ela deveria ser combatida ou não, a Senhora do fogo Izumi (filha do Zuko) decidiu não atacar.  A última coisa que ela queria associar era a Nação do Fogo a mais uma grande guerra (eu não consigo tirar a razão dela, mas foi por essa negligência que Kuvira pode dominar a nação e construir sua superarma, aos moldes das vistas grossas que a Inglaterra fez com a Alemanha).

 

Enfim. Kuvira chegou a Republic City e mostrou seu exercito e sua superarma. O que não seria pouco se ela tivesse prendido o canhão em UM GIGANTESCO MECHA. Sim, Kuvira criou ou blaster-master-super canhão de plasma e colocou ele no braço de um FUCKING JAEGER!   Diante da misera demonstração de poder, o Presidente Raiko, declara uma rendição (FRANÇAAAA). Com a cidade dominada e com as tropas de Kuvira marchando sobre o solo, resta apenas o time avatar como resistência.

Estamos todos ferrados.

Estamos todos ferrados.

Os últimos dois episódios se baseiam na luta do time avatar contra o “Kuvirazord”. Aqui eu vou divagar um pouco. QUE COISA LINDA!  Sério toda a batalha é de uma riqueza de detalhes, uma combinação criativa de ações. É lindo ver como cada personagem, interage com o outro conforme a luta prossegue.  Enfim, de um jeito que eu não pretendo contar aqui, as coisas culminam para a criação de um novo portal para o mundo espiritual no centro de Republic City e com Korra e Kuvira do outro lado dele. Antes de despertar no mundo espiritual vê brevemente um reflexo seu. Até que esse reflexo toma a forma de Kuvira. Com esse breve momento, a avatar se da conta de que no fundo Kuvira é como ela.  Uma mulher que um dia sentiu-se vulnerável e que jurou nunca deixar sua nação com a mesma sensação.  E com isso a heroína tocou a ditadora o bastante para faze-la ouvir e pensar. No fim Kuvira percebeu que ao tomar as rédeas do poder, enquanto os outros abdicaram ela se perdeu e foi longe demais. Ao querer tornar seu povo forte mais uma vez, ela o tornou em algo pior. Com isso ela se rende.

Agora o noivo pode fazer a coisa com a noiva.

Agora o noivo pode fazer a coisa com a noiva.

Ai a porca torce o rabo e chegamos ao final divisor de opiniões.  Acontece uma grande celebração pelo casamento de Varrik e Zhu Li. Nisso mostra que o antigo rival da Korra em Pro-bender agora virou músico.  Príncipe Wu decidiu acabar com a monarquia. E assim que voltasse pra Ba Sin Se iria começar o processo de democratização da Nação da Terra. E aqui começa a cisão. Mako jura ficar pra sempre seguir Korra, em qualquer batalha. E depois temos a parte que me deixou grilado e irá reverberar pela internet por muito tempo. O derradeiro final é com Korra e Asami, indo em  uma road trip começando pelo mundo espiritual. As duas entram no portal dão as mãos e se olham no olho. E acaba.

Final mamilos.

Final mamilos.

Pra mim esse final foi aberto demais. Vi muitas pessoas comemorando que era um final “Korrasami”. Isso me deixou grilado, pois eu fiquei na dúvida, será que eu estou sendo um conservador babaca ou isso que ficou dúbio demais? Vejam bem, eu particularmente achei um final na melhor das hipóteses covardes.  Legend of Korra, sempre foi prejudicada pelo fantasma do cancelamento. Isso sempre acabou fazendo a série manter os finais dos livros como pequenos pontos finais, na hipótese de cancelamento, o que normalmente prejudicava a finalização.  Mas a questão é que como o Flammer muito bem me lembrou, a série é pra crianças. Por isso nunca houve uma tensão sexual entre Korra e Asami. Pra mim sempre prevaleceu entre elas uma questão de confidência e apoio. Claro que ali havia um amor muito forte, mas pra mim isso jamais chegou a transparecer em atração. Korra mais de uma vez roubou beijos de Mako. E se aproveitou da amnésia pra continuar com ele no livro II.  E isso me deixa grilado, Korra e Mako tinham paixão. Korra e Asami tinham amor. Se fosse realmente rolar algo, só num improvavel livro 5 ou em uma continuação nas Hqs. Do ponto onde terminou, não. Então, nesse momento eu me pergunto: As pessoas estão enxergando aquilo que queriam ver, a série ficou adulta demais pra abordar certos assuntos ou que estou sendo muito retrógrado?  Bom favor amiches, aproveitem o espaço de comentários pra debater.

P.s: Anúbis, sem links pra hentais. Esse é um debate importante demais pra cair na lascívia e vulgaridade.

  • Eu achei apenas bem fraco, em todos os sentidos. Até escrevi um mega texto e pensei em mandar para o SuperAmiches, mas tava com preguiça de catar as ibagens!

    • Manda aí, final do ano faltam posts, =D HAUAHUAHAUAHUAHUA!!!

      • Egon de volta a ativa

        Malditas sejam festas e vida social que atrapalham os posts

      • Mandei, só n coloquei as ibagens xD

    • Manda aí. Eu coloco as imagens (vou colocar tudo do Avatar do Cameron).

      Mentira, manda ai, sempre é bom a opinião de alguém que pode trazer novo brilho a discussão. Evitar a nós de fazer mais post. Além de ser um ursão coisa mais linda, cuti-cuti.

  • Felipe P. Silveira

    Achei foda esse final, épico!

    Enfim, to no segundo episodio da terceira temporada, então to cagando regra!

  • Dicktator Uplanovsky

    Mais corajoso que a Disney com o lesbianismo enrustido de Malevola e Frost.

  • Churrumino

    Cara, eu assisti só a primeira e não me animei de ver o resto. Mesmo não tendo assistido, quando eu soube do rolo da Korra com a Asami, eu tive a sensação de ter sido uma parada tão repentina e forçada, justamente pela sombra do cancelamento. Talvez eles quisessem realmente trabalhar esse lado ou apenas querer dar uma de vanguardistas, sei lá. Mas do jeito que parece ter sido feito, era melhor nem ter feito.

  • Churrumino

    E antes que eu esqueça: Aang >>>>>>>>>>>>>>>> Korra!

  • Superior Omni Man

    Achei esse o melhor livro por toda essa parte política e como lee é ligado mais diretamente ao livro que o antecede. Felizmente, apesar de ter um mecha a batalha final não foi um grande Pacific rim, como o da segunda que achei uma grande merda. A única coisa achei bem nhé foi a parte da Kovira com a korra e como elas são parecidas e blá bla bla. Achei um pouco forçado e quando começou a conversa pulei logo para o casamento. Só eu achei que quando o kovira entrou no meio das arvores, ela seria morta pelos espiritos a la General Zhao?

    Sobre alguns personagens ao longo da temporada e seus desfechos. Ficou grande pra caralho mas como já tem o poste do Coruja e do outro leitor deixa continuar aqui mesmo.

    Toph: Achei que só iriam a trazer para aumentar a audiencia na base da nostalgia. Adorei como mesmo idosa ela continua sendo a senhora Fodona.

    Bolin: Finalmente começou a ter mais tempo de ar e se mostrar mais útil e passar maior credibilidade. Um dos personangens mais legais da série e uma pena ter sido usado em sua maior parte como alívio cômico, mas o mesmo pode ser dito sobre o Sokka.

    Verick: Gostei bastante da volta. No incio achava ele um alívio comico desnecessario até descobrir que não apenas ele inventou o cinema mas petendia usa-lo como meio de propaganda política. Desde então se tornou um dos favoritos de toda a animação.

    Percy Jr: Sério que a coisa que fez ele ficar assustado foi a ameaça de que a Korra iria carregar ele pelo mundo inteiro e nunca mais veria a noiva? Se tivessem torturado ele com cosquinhas teria mais credibilidade.

    Mako: A única surpresa que poderiam ter colocado para mim foi se ele tivesse morrido naquela cena, o que não achei que iria acontecer. Nunca gostei muito dele, sempre me pareceu genérico demais.

    Asami e PaI: Gostei do desfecho deles, apesar de previsivel visto como ele só tinha retornado uma vez desde o final da 1ª temporada.

    Asami/Korra: Me surpreendeu o final e realmente gostei dele. Na minha opinião a cena não ficou dúbia exatamente pelas mãos dadas e o olhar num fundo brilhante. Esse é exatamente a cena que antecede o beijo em todo desenho. Seria ambiguo se só mostrasse elas caminhando juntos rumo ao horizonte. Ainda bem pois nunca gostei do romance dela com o mocinho genérico.

    • Eu realmente torci pro Mako morrer naquela hora. Achei que traria uma carga muito foda pro final. Mas pra mim o pior de tudo foi a participação minima e desenvolvimento do General Iroh. O cara é neto do Zuko e não fez quase nada. Era só um Mako de farda vermelha.

      • Superior Omni Man

        O General Iroh nunca me agradou especialmente por ser dublado pelo mesmo cara que fez o Zuko, me fez parecer apelação pra nostalgia. Até que eles podiam tentar uma super-reviravolta para redimi-lo, mas se eles não conseguiram fazer isso com o Mako imagina com a cópia.

  • Cofre do Ultra Dont Give Moral

    Não acompanhei Korra, por mais que meu amigos indicassem e vivessem falando da série para mim e nem irei atrás dela, de forma honesta falo logo isso. A bem da verdade, nunca nem terminei o Avatar antigo do Aang, que eu gostava mas que não terminei por parar de passar na tevê ou eu ter voltado a assistir as aulas. Contudo, vou fazer um comentário sobre o final baseado nas suas descrições, Corujito. Então, se eu falar uma merda aqui, a culpa é sua kkkkkk.

    Bom, do jeito que você falou e tendo em conta o background de eles nunca deixarem transparecer nenhuma questão de paixão mesmo, já que amor é uma coisa que independe de interesse sexual, a impressão que fica aqui é de algo forçado. Recentemente eu vi em House of Cards o Frank Underwood falando com um ex-colega de faculdade de um relacionamento gay que eles tiveram no período em que estudavam juntos e aquilo, mesmo que repentino, faz sentido dentro da situação e que não deixa dúvidas sobre o que os personagens sentiram naquela época, pois foi bem feito. Já esse final de Korra, pela a sua descrição me pareceu sim bem mais mal feito e apressado, pois ele exige que o público imagine toda uma situação que nem subentendida foi deixada no desenho.

    Portanto, colega Coruja, não acredito que você esteja bancando o conservador babaca e sim estranhando algo que foi mal feito ou apressado. Se fosse com um outro homem pelo qual ela também demonstrasse apenas amor e não paixão, também ficaria mal feito. O melhor exemplo da evolução de amor para paixão é o da Xena com a Gabrielle, que feita de forma bem sutil para não chocar um público conservador e na hora que a paixão se revela ela não fica mal feita ou apressada.

    • Cara, um exemplo que vem a minha cabeça é a Canário Negro de Arrow. A Sara Lance no meio de um episódio revela ser Bissexual, onde é explicado que ela teve um caso com a Nyssa Al Ghul. Apesar do “choque” do beijo das duas, com o tempo é explicado mais detalhes. Mas até então Sara mal tinha dado detalhes dela. Ou seja a coisa foi bem conduzida e dava um rumo pra história. Do jeito que ficou me pareceu muito mais um Fan service, que algo concreto.

      • Cofre do Ultra Dont Give Moral

        Um final que poderia ter terminado com um negócio desse seria o de Naruto, onde ele e o Sasuke finalmente assumiam a relação kkkkkkkk

        • Egon de volta a ativa

          Tinha uma imagem na net do sasuke casado com o naruto usando aquele truque travesti dele, foi o final que vale

  • Anubis_Necromancer

    Nick fez algo que não esprava dela há muito tempo.
    conseguiu fazer algo que aprecia pol~emico ser normal.
    Algo que desde o começo de 2000 ela deixou de fazer, com suas animações de cunho social.
    Desde Arnold (bullying e pais ausentes – pra Helga), Ginger (pais divorciados), e Rocket Power (pai viúvo e seus filhos).
    Espero que ela possa fazer algo mais nesse estilo.

  • Bob Balburdia

    Não assisti pouco da serie pra dar qualquer opinião.

    E pra vocês doentes mentais que são obcecados por esse negócio de QUE DELICIA, CARA!, saiu o jogo perfeito pra vocês: OCOLAST:

  • Aperipe

    Parei de ver apos o livro II, já que depois de derrotar o espirito encarnado do mal o que seria uma verdadeira batalha para essa Avatar? Sobre a Asami, não me recordo em nenhum dos dois livro que vi, a construção de um relacionamento amoroso entre as duas personagens ou indícios que isso pudesse ocorrer (ex. troca de olhares, conversas mais afetuosas, etc). Isso acontece nos livro seguinte?

  • GaribilboBolseta

    Ñão irei comentar pois farei um post sobre huehuehue